O uso correto de repelentes

sábado, junho 03, 2017 Daniela O. R. 0 Comentários

A acentuada proliferação do mosquito Aedes Aegypti e as doenças causadas pela sua picada, como zika, denguechikungunya tem colocado a população em alerta sobre como se proteger contra este ‘inimigo’ tão pequeno. E acreditem, em muitos estados brasileiros nesta época é calor mesmo sendo Outono e esse mosquito continua em ação.

Além de manter caixas d’água limpas e bem fechadas, e vasos de plantas sem acumulo de água para evitar o foco de proliferação do mosquito, cada pessoa pode contar com o recurso de aplicar repelentes sobre a pele, como medida de proteção. Apesar de o repelente ser fundamental no processo de prevenção contra o Aedes Aegypti é necessário ter cautela, pois eles não são indicados para bebês antes do seis meses de idade.

Segundo a dermatologista Dra. Bel Takemoto (CRM-SP 123.860 e RQE 35.064), membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), é  importante seguir as orientações  do rótulo de cada produto e orientações do fabricante. Caso evolua com alguma alteração na pele é importante procurar um dermatologista que avaliará e dará a orientação adequada.

A especialista também ressalta que o repelente não deve ser aplicado embaixo das roupas. “Este tipo de produto dever ser aplicado somente nas áreas que ficarão expostas e o uso em excesso pode causar eventuais reações alérgicas, principalmente em pacientes atópicos. Em crianças, o uso deve ser supervisionado por um adulto para evitar aplicação em áreas irritadas, com ferimento ou perto de mucosas”, alerta a especialista. No Rafi eu sempre passo o repelente no corpo inteiro antes de colocar a roupa, ele nunca teve alergia do repelente, na verdade ele é alérgico de picadas, principalmente de borrachudos. 

Como escolher um repelente

Apesar dessa diversidade de produtos disponíveis no mercado, é necessário lembrar que eles também precisam ser aplicados mais de uma vez durante o dia. “Como é um produto destinado para a pele, e funcionam com o efeito de proteção devem ser reaplicados  para manter a ação e melhor resultado”, explica a dermatologista Dra. Bel Takemoto. 

Na hora de escolher um repelente alguns itens importantes devem ser observados, como o tempo de proteção oferecido, os ativos presentes em sua formulação e também recomendação por idade. Há uma variedade de repelentes que contêm os princípios ativos  como DEET (dietiltoluamida), Icaridin ou Picaridin e IR 3535 e que o tempo de ação do produto deve nortear em que momento reaplicar.  Na opinião da dermatologista, não podemos esquecer-nos das telas e do uso de roupas que cubram braços e pernas que são medidas simples e eficazes e que já existem roupas repelentes

Assuntos Relacionados

0 Comentários :