Flow de Notícias

"Adrenalizou" de Vitor Kley: O lançamento do clipe foi às 0:01h do dia 1, virada do ano!

Se 2018 foi o ano de “O Sol” como canção da positividade e alto-astral da temporada, 2019 tem logo em seu primeiro dia uma favorita ao posto – o ano nasce junto à estréia do clipe de “Adrenalizou”, de Vitor Kley, que ele já considera “o mais incrível e maluco da minha vida”. O cantor gaúcho transformou em verbo a palavra que marca sua carreira até aqui – e que batiza o disco recém lançado.
“A música já é uma doideira por si só, então resolvemos pegar uma data maluca como primeiro de janeiro e lançá-lo”, diz Vitor.
Montanha russa/Pára-quedas/Salto na atmosfera/(...)Acelera os batimentos/Adrenalizou o meu coração/Menina bonita/Quando eu toquei na sua mão” é a “doideira” da letra a que ele se refere. E que faz a ponte da adrenalina estimulada, quando você encara um bungee jump ou pára-quedas, e o aumento gostoso do hormônio “que acelera os batimentos” ao tocar a mão da sua paixão.
O clipe, dirigido por China Trindad, Gui Pádua e Tony Santos, traz justamente esse argumento. Vitor durante um show em Feliz (nem o nome da cidade gaúcha parece ser por acaso) cantando-a e a “menina bonita” na plateia. Cada vez que ele toca a mão da garota, dispara uma sequência em que a adrenalina anda de montanha russa, salta de pára-quedas e aumenta o beat da canção.
música favorece o roteiro, com energia máxima. A batida é acelerada, o violão e a voz trazem a assinatura característica do cantor que coroou 2018 com “Caldeirão de Ouro”, do programa de Luciano Huck, e indicação a uma das três músicas do ano no Faustão, entre outras reverências.
É o terceiro single do disco que leva o mesmo nome. Vem depois de “O Sol”, que já bate nas 130 milhões de visualizações no Youtube e entrou na trilha da novela “Espelho da Vida”, e de “Morena”, parceria com o astro da música eletrônica Bruno Martini.

Desta vez a parceria na composição é com Digão Bessa. “É um verbo que inventei para representar como me sinto quando saio de um show incrível. Falo para a galera: ‘Tô adrenalizado até agora’”, diz Vitor. Pode chamar de invenção, pode chamar de arte e no primeiro dia deste 2019 pode chamar de mensagem de positividade para o mundo.

Nenhum comentário