Flow de Notícias

Cantor traz resgate da cultura Iorubá em letras de rap

O cantor e compositor TorOgum acaba de lançar seu novo EP “Musalegy”, trazendo um resgate da cultura Iorubá em sua música. Com uma carreira no hip hop, o músico já trabalhou com o grupo Inquérito e fez abertura de shows para o Racionais.

O artista é de Sumaré, interior de São Paulo e o seu EP conta com três músicas de composição própria e em parceria com artistas da “cultura de terreiro”. Seu nome é uma menção ao Orixá "Ogum”, orixá guerreiro da cultura Iorubá.
Essa nova fase faz parte do projeto “Morre o Guri, Nasce o TorOgum”, fazendo uma alusão ao abandono da carne para viver em espírito. Este é o segundo EP do artista, que já trabalhou com grupos como Klandestino, Inquérito e Quarto Poder.

Sobre a mudança, TorOgum é enfático. 

“Isso foi inevitável, minha vida mudou completamente, eu já não era mais o Guri. O espiritual gritava dentro de mim, passei a me preocupar com cada atitude que eu vinha a tomar. Realizei um sonho que foi viver da música cantando como Guri, mas essa evolução pela qual eu passei, fez com que eu me refizesse. Ainda estou em um processo de construção, mas com a certeza de que não sou mais quem eu era”.

TorOgum afirma que a espiritualidade salvou a sua vida e essa foi a principal inspiração para o EP. 

“A gratidão aos Orisás me inspirou. Estive na beira do precipício, não morri porque Ogum não permitiu. Dentro do “roncó” eu percebi que o espiritual é o que realmente importa e que estamos nessa terra em busca evolução”, comenta. “O Candomblé me resgatou, salvou minha vida e fazer essa EP foi uma forma de demonstrar minha gratidão”, completa o artista.

Sua principal inspiração é a fé e o amor pela religião. “O Candomblé hoje na minha vida é como uma bússola. Me deu disciplina para respeitar o próximo e tentar ser uma pessoa melhor dia após dia. Serei eternamente grato pelos caminhos que me trouxeram a essa religião, desde o meu primeiro “Bori” até a minha “feitura”, sinceramente não consigo descrever esse sentimento em palavras, mas, hoje conseguir me olhar no espelho e enxergar o homem que me tornei, só tenho a agradecer”.

FILOSOFIA

Para TorOgum “o impossível está na mente dos acomodados”. “Quem tem um objetivo encontra sempre uma luta. Quem não quer fazer nada, arruma sempre uma desculpa”, afirma o artista.

Essa filosofia é trazida nas letras de suas música. “O fato da EP ter somente três faixas, é porque simbolizam um renascimento (Musalegy), um conflito de aceitação (Meu Santo é Forte) e a certeza de que eu posso tudo, minha felicidade só depende do caminho que eu escolher (O que te move?). As três são importantes pra mim, mas gostaria de destacar uma frase que está na música "O que te move?" Que diz: ‘A ignorância que nos cega, segue fazendo vítimas’”, explica.

Seu trabalho já está disponível em todas as plataformas digitais e em breve um videoclipe da música “O que te move” será produzido.