Musa e rainha contam as dores, delícias e expectativas para o Carnaval 2020

A poucos dias do Carnaval a ansiedade só aumenta. Seja para quem vai viajar, curtir em casa vendo os desfiles no sambódromo ou quem vai cruzar a avenida com samba no pé e o enredo na ponta da língua. 

É o caso da Valéria Maria Gonçalves, mais conhecida como Valéria Mari, que pelo oitavo ano seguido sairá na Unidos da Tijuca no próximo dia 24. Uma das responsáveis pela área de artes cênicas do CCBB RJ, participou de uma seleção para a ala de passistas em 2012, e em 2017 foi eleita a musa da escola através de um concurso. 

“Eu fui a primeira passista a se tornar musa e desde então esta ala ganhou mais destaque. Este ano a Escola vem com mais duas passistas no posto de musa. É muito gratificante poder inspirar outras meninas que sonham em  chegar aonde cheguei”, conta Valéria. Aos 42 anos ela sairá como destaque à frente de uma ala maior. “O maior desafio desta missão, é se manter uma musa com a correria do dia a dia e a rotina de trabalho”, contou Valéria.

Valéria Mari desfila na Unidos da Tijuca há 8 anos 

Já para a cantora Ranya, que vem como rainha de bateria da Império Ricardense neste Carnaval, viu a sua carreira crescer junto ao samba. “Desfilo há 25 anos; comecei na Portela desfilando em ala, posteriormente passei a integrar a bateria, sendo convidada por outras escolas, como a Império Serrano, Beija-Flor e outras.”, relembra. Para ela, conciliar todos os compromisso que surgem nessa época é bem intenso. “A agenda de shows, com ensaios técnicos da Escola é o meu maior desafio.  A preparação é mais profunda”, conclui. 

Por falar em preparação, Valéria se motiva o ano todo para esta época. Ela que já desfilou na Portela e Caprichosos,  se exercita seis dias na semana e segue uma dieta orientada por um nutricionista ortomolecular e esportivo. A musa confessa que a ansiedade é inevitável, mas o exercício físico e os ensaios são eficazes para combatê-la “Conforme vamos ensaiando toda semana, mais segura eu fico para o dia do desfile”, comenta. 

Por sua vez, Ranya, diz que sua preocupação maior é com a hidratação. “ Nunca fui muito regrada com a alimentação, mas me preocupo em beber água, além de consumir alimentos com bastante proteínas e carboidratos. Ela contou ainda que está ansiosa para ver a fantasia pronta. “Eu fico apreensiva, sempre querendo que dê tudo certo não só pra mim, mas para à Escola,  que com muitas lutas coloca seu Carnaval na rua”, diz emocionada e comenta sobre sua fantasia “Tem a ver com sala do Cine Ricardense e venho representando uma figura muito importante em todos os cinemas... Ninguém vive sem esta "figura... mistério!”, brincou a rainha.  

Valéria Mari também vai deixar para surpreender o público com sua fantasia: “Eu venho representando os operários da construção civil. Só posso contar isso, o resto é surpresa!”, comentou a musa. 

Foto: Cris Mattos
A cantora Ranya se divide entre a agenda de show e ensaios na Império Ricardense

Independente do lugar de destaque que se ocupa na festa, o Carnaval é uma símbolo da nossa cultura. Seja nos blocos de rua, nos bailes em clubes, ou nos sambódromos. Seja no frevo, samba ou maracatu. Pode ser uma fantasia luxuosa ou um glitter para colorir a vida, o importante é curtir o Carnaval com responsabilidade e muita animação!
Tecnologia do Blogger.