Uma preocupação constante na hora de planejar a viagem tem sido escolher roteiros na contramão da aglomeração. Por isso, as viagens para destinos de natureza estão liderando na preferência dos viajantes em um ano de pandemia.

Se a ideia é mudar de cenário e descobrir roteiros alternativos, Paraty revela muitos destinos pouco explorados que prometem surpreender os viajantes. Na Costa Verde do Rio de Janeiro, a charmosa cidade reúne uma infinidade de tesouros naturais a serem desfrutados em seus arredores que vão muito além do tradicional roteiro do centro histórico.

A primeira sugestão é alugar uma lancha só para seu grupo, ao invés de fazer um tradicional passeio de escuna. Com cinco horas de duração, é possível combinar com o marinheiro o roteiro pelas praias e ilhas da Costa Verde fluminense, em uma lancha com capacidade de até oito pessoas.

O passeio ainda inclui água mineral, toalhas, máscaras e snorkel, flutuadores e combustível para a embarcação, e deve ser iniciado entre 9h da manhã e meio-dia. Os visitantes devem se preocupar em levar óculos de sol, protetor solar, chapéus, roupas de banho e muita animação.

Já imaginou conhecer um fiorde, sem sair do Rio de Janeiro? Estas formações que incluem um braço do mar entre montanhas são comuns na Noruega, resultado da erosão das montanhas por conta do gelo.

Em Paraty está localizado o único fiorde tropical, o Saco de Mamanguá. O acesso só é feito por barco ou trilhas, e no passeio é possível visitar várias praias e comunidades de pescadores, oferecendo ao turista contato com a natureza e a cultura local caiçara.

Outra praia famosa da região é a Praia do Sono. É possível ir de carro até uma parte do caminho, no Condomínio Laranjeiras. A partir deste ponto, o turista precisa fazer uma trilha de três quilômetros e com grau de dificuldade médio. A recompensa está em chegar a uma praia de areia fina e testemunhar o encontro do rio com o mar.

E já pensou em unir seu passeio no mar com uma gastronomia internacional? A chef Gisela Schmitt oferece uma experiência única na traineira “Sem Pressa”, que une passeios no mar com stand up paddle, sofás, estrutura confortável para curtir o dia e pratos exclusivos, feitos com o melhor dos ingredientes locais, para grupos fechados de 2 a 18 participantes.

Onde se hospedar em Paraty

Depois de um dia cheio de aventuras e atividades, nada melhor do que se hospedar com conforto e charme. Localizada nas proximidades da Praça da Matriz, a pousada oferece 43 apartamentos equipados com ar-condicionado, tv a cabo, minibar, cofre e camas box. Peças típicas do universo cultural brasileiro, como cerâmicas, tapeçarias, móveis coloniais, antiguidades e obras de artistas paratienses fazem parte da decoração do casarão, que tem seus quartos batizados com nomes de personalidades femininas da nossa história, artes, música ou literatura.

O jardim temático da pousada, o primeiro da cidade, também é destaque. As bromélias, plantas típicas da Mata Atlântica, surpreendem e encantam por sua beleza e exotismo. Mais de 70 espécies identificadas se espalham pelo jardim tropical.

Datado de 1804, o casarão que sedia a Pousada Porto Imperial foi um entreposto comercial, destacando-se por estar às margens do rio Perequê-açu, ponto onde as embarcações atracavam para o embarque e desembarque de mercadorias em Paraty. Posteriormente, a edificação abrigou o primeiro teatro da cidade, recebendo inclusive um baile em homenagem à Independência do Brasil. A Pousada Porto Imperial está em atividade no local desde 1978.

Serviço:

Regras para entrar em Paraty

Por conta das restrições de circulação definidas pela prefeitura local, os visitantes precisam apresentar o comprovante de reserva de hospedagem para entrar na cidade. O número de participantes em passeios também foi limitado em 50%.